Você sabe o que é Disbiose Intestinal?




Disbiose intestinal é quando há um desequilíbrio na composição da flora intestinal causando um desajuste na quantidade e na distribuição de bactérias presentes, levando à diminuição da capacidade do intestino absorver nutrientes.


A principal causa da disbiose intestinal é a má alimentação, mas podem surgir por razões variadas como restrições alimentares, consumo excessivo de gorduras, proteínas, alimentos processados, açúcares, carboidratos refinados, baixo ou nenhum consumo de fibras, bem como o uso de medicamentos e/ou antibióticos, bebidas alcoólicas, tabagismo, falta atividade física. Fatores como estresse, fadiga e mudanças de humor também podem ser notados.


Sintomas como enjoos, náuseas, vômitos, gases, dores abdominais, diarreias, prisão de ventre, distensão abdominal podem se manifestar e ser passageiros. Caso persistam e não forem tratados, podem evoluir para comorbidades mais graves, como por exemplo diabetes tipo 2, síndrome do intestino irritável, intolerância à lactose, entre outras.


Os probióticos, que são organismos vivos, podem contribuir para paciente/cliente que está passando por uma disbiose intestinal pois, estimulam o crescimento de bactérias benéficas. São encontrados em iogurtes, leites, bebidas fermentadas (que contenham probióticos), chucrute, kombucha ou mesmo em saches e cápsulas. O consumo precisa ser associado com alimentos fontes prebióticas que são componentes alimentares não digeríveis, que são encontrados em alimentos ricos em fibras como frutas com casca, verduras, alho, cebola, feijões, lentilha, grão de bico, aspargo e aveia.


Mudanças nos hábitos alimentares, aumento ingestão de fibras, diminuição proteica, aumento ingestão hídrica, prática de atividade física e outras indicações específicas, são aplicadas tanto para tratar quanto prevenir a disbiose intestinal.


Nem todo alimento tem o mesmo efeito em todos os indivíduos. Para dizer qual a melhor estratégia nutricional e um planejamento adequado, procure sempre um profissional habilitado para que possa tratar, amenizar ou prevenir as desordens do paciente e/ou cliente.


Atenção! Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista.


Quer saber mais? Mês que vem nos encontramos novamente.


Até breve!!!


Beijos da nutri

59 visualizações0 comentário

Posts Relacionados