Filosofando

Crio um elo de confiança entre o Ser e o sentir e de mãos postas faço uma reverencia pela vida.

Nova semana. Novos desafios…

As vezes paramos meio do nada e começamos a rever o que fizemos. O que nos tocou o coração. Quais atos singelos abarcaram sentimentos novos…

É meio normal que ao inicio de um novo período do calendário façamos planos… afinal qual humano não tem alguma expectativa em relação ao futuro?

Mas, mal nos damos conta que não existe hoje sem ontem. O problema é quando esses ontens nos afligem ou pior nos colocam em xeque com atitudes alheias… Confesso que a semana que termina colocou sentimentos há muito esquecidos evidenciados em minha alma poética.

Dei de cara com algumas mesquinharias, mas, ainda bem que para compensar uma gentileza sobrepôs a miséria que abalou meu ser…

Então a partir disso comecei a divagar…

E nesse vai e vem de pensamentos próprios dos poetas e talvez dos filósofos percebi que se você quer viver bem esqueça as atitudes sórdidas e viva apenas com aquelas que lhe fazem evoluir.

E percebi que as vezes é a tua loucura que empobrece a alma de outrem.

Mas, a mesma loucura é capaz de enobrecer outras almas… e nesse jogo infinito de coração, razão e dúvidas fico mesmo é com o que sou e mantenho-me fiel ao que sinto!

Amar o próximo invariavelmente perpassa pela capacidade de agradecer a Deus pela sua sanidade e seu silêncio.

Aproveito os fatos e medito. Afinal, o que pode mesmo aquecer o espirito senão a delicadeza de Deus?!

Crio um elo de confiança entre o Ser e o sentir e de mãos postas faço uma reverencia pela vida.

By Helena Fraga

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo