Feitas para Durar



A primeira vez que li “Feitas para duras” foi quando estava no mestrado em 2004. Depois o emprestei e nunca mais o vi... Coisas que acontecem quando emprestamos livros...


Outro dia me deu uma saudade imensa de relê-lo e comprei-o novamente. E pasme! Além de continuar sendo uma obra excelente para empreendedores e administradores fiquei bastante feliz em ver que o livro foi atualizado. O que, com certeza, torna ainda mais encantador lê-lo.



“Feitas para durar” – escrito por Jerry Porras e Jim Collins –, como os autores contam no prefácio, nasceu dentro de uma sala de aula. Uma pergunta pertinente de uma aluna levou-os a fazer um comparativo entre 25 empresas mundialmente conhecidas mostrando porque algumas alcançaram sucesso e perenidade e outras nem tanto.

Alguns pontos ao longo da narrativa nos fazem refletir profundamente, mas, o maior ensinamento da obra acredito que seja quando Collins e Porras mostram, por meio de gráficos e estatísticas, que as empresas perenes não visam apenas o lucro.


É interessante, por exemplo, quando os autores citam que “empresas visionárias, como a Motorola, não percebem a questão como uma escolha excludente entre seguir seus valores e agir de forma prática; elas consideram um desafio encontrar soluções pragmáticas e agir de acordo com seus valores essenciais”.

Uma lição, sem dúvida, afinal a tentação de deixar de seguir a conduta inicial ao abrir uma empresa a cada desafio às vezes é o que impede de crescer. É um desafio constante mantermo-nos fiéis aos objetivos primeiros.

Deixo aqui um trecho do livro que é no mínimo instigante...


Tornou-se moda nas últimas décadas para as empresas gastar incontáveis horas e montantes de dinheiro elaborando elegantes declarações de visão, de valores, de missão, de proposito, de aspiração, de objetivos e assim por diante. Tais postulados são ótimos – na verdade, podem ser bastante uteis –, mas não são a essência de uma empresa visionária....

É importante salientar que os autores se ativeram a empresas que têm uma vida com mais de 70 anos. A perenidade segundo eles vai de encontro ao tempo de vida de uma firma ao longo de décadas.

Leitura obrigatória para quem gosta de história e aprendizagem.


Eu gostei! Espero que você também goste!

11 visualizações0 comentário

Posts Relacionados