Castro Alves


Apenas um delírio poético


Imagino um homem franzino, mas, bonito...

Cabelos encaracolados... bigode vasto

Amante ardente tal qual fervoroso defensor dos escravos!

Imagino-o bebendo com os amigos até a madrugada

As mulheres ao seu lado e os galanteios amorosos com pitadas de romantismo!

Imagino-o estudante,

Menino querendo ser homem!

Imagino-o solitário ao leito de morte na flor de seus 24 anos!

____________________________________________________________________________________________


Hoje Castro Alves – Nascido Antônio Frederico – faria 175 anos. Filho do médico Antônio José Alves e Clélia Brasília da Silva Castro em Muritiba (BA) no dia 14 de março. Estudou nas melhores escolas de seu tempo e foi amigo de Rui Barbosa que muito lhe influenciou em sua poesia.

Em 1866 perdeu o pai e apaixonou-se por Eugenia Câmara atriz portuguesa dez anos mais velha que ele e importante musa em sua obra e sua vida. Tornou-se o poeta social e inspirado foi porta voz da causa da abolição e conhecido como o poeta dos escravos.

De saúde precária desde muito jovem faleceu vitimado pela tuberculose aos 24 anos. Mas, deixou vasta e importante obra. É o patrono da cadeira 7 da Academia Brasileira de Letras.

Até algum tempo atrás o dia 14 de março era oficialmente o Dia da Poesia no Brasil. Infelizmente a data mudou, mas, no coração dos poetas continuamos a celebrar Castro como inspiração e fonte de leitura obrigatória.

Helena Fraga


3 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Santa Zita